Publicidade

Aldeia das Águas

Há Casos!

Marco Túlio Carvalho

mtacarvalho@gmail.com

Crônica

Amor sem prazo de validade

Bacana mesmo é estar ao lado de alguém, pelo simples fato de você nem saber o porquê da importância dessa pessoa na sua vida

Colunistas  –  22/10/2016 08:00

5582

(Foto Ilustrativa)

Fiquemos atentos às diferenças do amor por

conveniência e do “amor sobre a tese da inutilidade”

 

Pe. Fábio de Melo, pessoa cujo admiro personalidade e sabedoria, possui uma teoria muito interessante sobre o amor. 

“Se você quer saber se o outro te ama de verdade, é só identificar se ele seria capaz de tolerar a sua inutilidade.” - diz o teólogo. 

Ele está coberto de razão. 

É muito fácil amar alguém quando esse tem serventia.
Difícil será ficar ao lado dessa pessoa quando ela torna-se inútil pra você.
Difícil não. É raro. 

Sobretudo, porque vivemos relações - trabalho, amizade, amor - de interesse. Dos mais diversos. 

Ora... Não vai me dizer que não nos aproximamos de alguém, interessados no seu modo de pensar e agir? Essa é a magia dos relacionamentos. Interesses em comum.

Infelizmente, uma parcela da humanidade transformou esse interesse, que deveria ser benéfico, em algo extremamente pejorativo, malquisto, eu diria.
Surgiram então os interesseiros, no pior sentido da palavra.
Interessados no emprego do outro, no dinheiro do outro, no amor do outro (e até na energia do outro). 

Nesses, certamente, os relacionamentos são baseados em falsas admirações e uma evidente cobiça.
Deus nos livre desses sanguessugas.
Fiquemos atentos às diferenças entre o amor por conveniência e o “amor sobre a tese da inutilidade”.

Tornemo-nos interessantes pelo resto de nossas vidas. Admiráveis por razões que a própria razão desconhece, mas que o coração logo se identifica.
E vai se dar conta que bacana mesmo é estar ao lado de alguém, pelo simples fato de você nem saber o porquê da importância dessa pessoa na sua vida. 

Ela apenas É. Nada Tem.
Mas mesmo assim Oferta.
Oferece um sorriso gratuito, um abraço quando mais necessita e um amor dos mais genuínos.
Essa “utilidade” é ad eternum. 

Bom fim de semana a todos.
Abraços meus. Até a próxima.

Por Marco Túlio Carvalho  –  mtacarvalho@gmail.com

Seja o primeiro a comentar

×

×

×