<

Publicidade

DJ

Olho Pop

Cláudio Alcântara

claudioalcantaravr@hotmail.com

Enquetes

Instrumentista: Gustavo França receberá o Prêmio OLHO VIVO 2013

Ele teve 30,55% dos votos; em segundo ficou Claudio Cacau e Charles Reis aparece em terceiro lugar

Crítica  –  07/11/2013 15:37

1

(Fotos: Divulgação) 

"O músico brasileiro ainda vive num submundo, submetendo-se a condições de trabalho, quase sempre, péssimas; aqui na região esse quadro se confirma, mas isso não é simples de responder ou de se resolver, é uma questão cultural, econômica, mercadológica"

Gustavo França venceu a enquete do Prêmio OLHO VIVO 2013 - Categoria Instrumentista e vai receber o troféu que será entregue no início de 2014. Com o projeto reformulado, na 25a. votação do ano, a página da enquete foi visualizada 10.465 vezes e a reportagem com os indicados, mostrando fotos e links de cada um deles, foi vista 770 vezes. Foram registrados 2.360 votos. França fechou a enquete com 30,55% dos cliques. Em segundo lugar ficou Claudio Cacau, conseguindo 21,02%. E Charles Reis aparece na terceira colocação, com 16,31%. O resultado completo da enquete está aqui. Até 1 de novembro, em 25 categorias, foram registrados 71.243 votos, a página das enquetes foi visualizada 210.391 vezes e as reportagens mostrando o material dos indicados tiveram 15.300 views.

2

A cerimônia de premiação, reunindo 450 convidados, será em 7 de fevereiro de 2014, às 20h, no Gacemss (Grêmio Artístico e Cultural Edmundo de Macedo Soares e Silva)    

O amor pela música, segundo Gustavo França, vem de família e sempre falou muito alto. Em casa, todos tocam violão e desde que se entende por gente gosta de música. Ele lembra que ainda criança, aos 3, 4 anos, tinha o sonho de ganhar um brinquedo: uma guitarra verde e branca. Aos 12, esse sonho começou a se realizar quando ganhou seu primeiro violão, e, assim, começou sua trajetória na música. "Sou muito obstinado e sempre busco fazer o melhor em tudo. Comecei sozinho a tocar violão. Com o tempo, aprendi vendo amigos tocarem, até começar a estudar aos 17 anos. Daí em diante, não parei mais", conta. França fez bacharelado em violão na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e lá teve contato com grandes mestres do violão, brasileiros e estrangeiros. Depois, fez uma complementação pedagógica e hoje dá continuidade a esse processo no colégio Anglo-Americano, onde é professor. "Tenho verdadeira paixão por apresentar aos alunos esse universo tão maravilhoso que é a música", enfatiza. 

Veja uma parceria de sucesso há 15 anos:
Gustavo França e Rogério Valente

Confira a entrevista com Gustavo França 

Três instrumentistas foram muito bem votados. Você esperava ganhar o prêmio por votação popular?

Sinceramente, não esperava ganhar não! São dez grandes músicos, quase todos com uma carreira muito sólida aqui na região e eu estava satisfeito de ter sido lembrado entre os primeiros 22 lá no início da enquete. Mas a música tem esse mistério, ela encanta, toca o coração por motivos que a razão não explica, e se o voto popular escolheu a minha música, fico muito feliz! 

Dos instrumentistas indicados, há algum que você tenha um carinho especial? Ou outro que não tenha entrado na enquete? Por quê? 

Dos dez que ali estavam, só não conhecia ainda o trabalho do Pedro Andrade, todos os outros são músicos com história aqui na nossa região e admiro o trabalho de cada um deles. Mas tenho um carinho e admiração especial pelo Jean Barros, um gênio na minha opinião, e, claro, pelo Rogério Valente, meu primeiro professor, grande amigo e um mestre! 

Que análise você faz do espaço para os instrumentistas na região? O que pode ser melhorado? 

Dizer que o espaço é bom seria ingenuidade, mas que melhorou muito, isso melhorou! O músico brasileiro ainda vive num submundo, submetendo-se a condições de trabalho, quase sempre, péssimas. Aqui na região esse quadro se confirma, mas isso não é simples de responder ou de se resolver, é uma questão cultural, econômica, mercadológica... Hoje já vemos muitos músicos conseguindo tocar, expondo seus trabalhos em algumas casas noturnas da região, agora, dizer que eles sobrevivem disso eu não arrisco. Essa é uma discussão séria e longa, um debate que deve ser feito o mais rápido possível. 

2

"Não me parece justo fazer música sem a presença
de músicos no palco, a não ser por motivos de força maior"

A arte de tocar é uma mistura de técnica e emoção. E você, como trabalha isso em suas apresentações? 

Essa é uma pergunta muito pertinente! Eu comecei a tocar sozinho e assim fui, de forma totalmente intuitiva, por cinco anos, até ter minha primeira aula de música. Até então não possuía conhecimento técnico algum e tocava totalmente o que meu coração sentia e pedia. Com os estudos aprendi muito, desenvolvi minha técnica ao extremo, chegando a estudar oito horas por dia. Esse estudo me trouxe um amadurecimento musical enorme e com os anos fui conseguindo aliar as duas coisas, o que acho muito importante. É interessante esse processo de amadurecimento, e hoje consigo notar essa evolução na minha música, no meu tocar. Mas tudo veio com muito estudo, muita prática, muito tempo, afinal, faço música há 21 anos e creio que ainda tenho um caminho muito grande a trilhar. 

Violão é o mais popular dos instrumentos? Por quê? Você toca outros instrumentos, além do violão? 

Não me atrevo a dizer que o violão é o mais popular dos instrumentos, mas repasso um dito que aprendi na faculdade: "O violão é o instrumento mais fácil de ser mal tocado e o mais difícil de ser bem tocado". E, realmente, o violão é traiçoeiro, se você não estuda muito, não desvenda todos os caminhos dele, a gente se perde nele como em um labirinto. Ao mesmo tempo, qualquer pessoa é capaz de pegar o violão e tocar alguma melodia ou algum acorde. Profissionalmente toco violão e guitarra, mas gosto e tenho contato com vários outros instrumentos também.

Do ponto de vista mercadológico, o violonista é valorizado? 

Acredito que o violonista é um dos instrumentistas que mais consiga trabalhar. É o fiel escudeiro do cantor. Talvez seja por suas facilidades, é um instrumento relativamente de baixo custo, leve, fácil de transportar e é popular. Por outro lado, com a tecnologia, o teclado passou a ser muito usado, por possuir simulações boas de quase todos os instrumentos. Mas em geral o violonista, como qualquer outro músico, ainda não tem o reconhecimento devido. 

Quais os instrumentistas que te influenciaram? E de que forma? 

Eu nunca tive daqueles ídolos intocáveis, distantes da minha realidade. Sempre me inspirei nas pessoas do meu convívio, como meus professores, por exemplo. Aqui em Volta Redonda foi o Rogério Valente, na faculdade os professores e violonistas Graça Alan, Turíbio Santos e Marco Pereira. Todos eles me ensinaram muito sobre música, sobre o violão e, principalmente, sobre como lutar nessa vida. 

Eu vi recentemente a apresentação de uma artista conhecida nacionalmente, que fez seu show sem um instrumentista sequer no palco (não havia banda; tudo pré-gravado). Pode ser até válido, mas é justo com os profissionais e com o público, que pagou para ver um show completo? 

A tecnologia veio pra nos ajudar, mas se não houver bom senso corremos o risco de nos perdermos nesse caminho. Existem muitas possibilidades do músico utilizá-la a seu favor e, com critério, é positivo o uso desses artifícios. Entretanto, não me parece justo fazer música sem a presença de músicos no palco, a não ser por motivos de força maior. A música é algo tão vivo, que fazê-la com os instrumentos pré-gravados é um desperdício. Mas entramos novamente na complexidade do mercado, na questão econômica, são muitos os fatores envolvidos e eu não julgo como certo ou errado quem faz, pode ser a necessidade do artista naquele momento, cada um tem suas razões que justificam seus atos. 

3

Novo trabalho de França, com a banda Five, que acompanha o cantor Eduardo Dellarosa

Quais os momentos mais marcantes na sua trajetória?

Guardo muitos momentos marcantes na minha vida de músico. Desde a primeira vez que subi ao palco em 1998 com meus tios Beto França e Maria Claudia, passando por grandes palcos da música instrumental brasileira acompanhando outro gigante instrumentista e compositor da nossa região, o Carlos Henrique Machado.

A temporada no Navio Vision of the Seas, onde estive em alguns países da Europa com a querida banda Enfoco, deixou uma saudade enorme e, finalmente, a fase atual da minha vida que também é marcante pois o instrumentista ficou um pouco de lado pra dar lugar ao professor que tenta passar para as crianças o pouco do que aprendeu nesses 21 anos de música.

Projetos futuros? O que vem por aí? 

Sim, sempre temos projetos! Estou focado agora na minha nova banda, a banda Five, que vai acompanhar um cantor talentoso de Valença, o Eduardo Dellarosa, que está vindo aí pra agitar a região. É um cara obstinado, lutador, com um trabalho autoral e que reuniu uma banda com a cara dele, obstinada a conseguir seu espaço. Fora isso, estou ansioso pra ouvir a faixa que gravei com o Rogério Valente a dois violões para um CD de músicas autorais dele em prol da SPA.

Os vencedores do Prêmio OLHO VIVO 2013

1 > Cantora (veja os vídeos das 10 indicadas). A vencedora é Carina Sandré.
2 > Cantor (veja os vídeos dos 10 indicados). O vencedor é Ricky Vallen.
3 > Banda (veja os vídeos das 10 indicadas). A vencedora é Dancing Flame.
4 > Dupla (veja os vídeos das 10 indicadas). A vencedora é Jô & Samuel.
5 > Grupo de Samba (os vídeos dos indicados). O vencedor é Samba Roque Clube.
6 > DJ (veja os vídeos dos 10 indicados). O vencedor é Sandro Dejota.
7 > Casa Noturna (veja os vídeos das 10 indicadas). A vencedora é Black Jack Pub.
8 > Colunista (saiba mais sobre os 10 indicados). O vencedor é Hugo Dalmon.
9 > Blog (saiba mais sobre os 10 indicados). O vencedor é Espaço Zero
10 > Programa de Rádio (os vídeos dos indicados). O vencedor é Henrique Barbosa.
11 > Dança (veja os vídeos dos 10 indicados). A vencedora é Fifi Dance.
12 > Poeta (saiba mais sobre os 10 indicados). A vencedora é Anielli Carraro.
13 > Artista Plástico (mais sobre os indicados). A vencedora é Ludmila Vilarinhos
14 > Web Rádio (saiba mais sobre as 10 indicadas). A vencedora é BSide.
15 > Atriz (saiba mais sobre as 10 indicadas). A vencedora é Poliana Batista
16 > Ator (saiba mais sobre os 10 indicados). O vencedor é Rodrigo Do Val.
17 > Diretor (saiba mais sobre os 10 indicados). O vencedor é Lucio Roriz
18 > Grupo de Teatro (mais sobre os indicados). O vencedor é Liberdade de Expressão
19 > Modelo Feminino (mais sobre as indicadas). A vencedora é Patrícia Guido
20 > Modelo Masculino (mais sobre os indicados). O vencedor é Rafael Botelho
21 > Revelação (saiba mais sobre os 10 indicados). O vencedor é Kell Muniz
22 > Iniciativa Cultural (os indicados). O vencedor é Sai da Rua Menino... 
23 > Fotógrafo (saiba mais sobre os 10 indicados). O vencedor é Yuri Melo
24 > Livro (mais sobre os indicados). O vencedor é "O homem que fugiu para a lua". 
25 > Instrumentista (saiba mais sobre os 10 indicados). O vencedor é Gustavo França
26 > Espetáculo Teatral (mais sobre os indicados). O vencedor é "Los best amigos 2".  
27 > CD/EP (saiba mais sobre os 10 indicados). O vencedor é "Fallen angel". 
28 > Música (mais sobre as indicadas). A vencedora é "El diablo cazador de..."
29 > Show (mais sobre os indicados). O vencedor é "Lugar de mulher é no vocal 4".
30 > Clipe (saiba mais sobre os indicados). O vencedor é "Bad river blues".

Por Cláudio Alcântara  –  claudioalcantaravr@hotmail.com

2 Comentários

×

×

×

  • Marco Aurélio Castro

    Estou muito feliz com a vitória do meu amigo Gustavo França. Vitória essa, mais do que justa e merecida visto que seu talento, humildade e, principalmente, sua paixão pela música merecem sim ser valorizados. Lembro-me perfeitamente da minha primeira aula de violão com o Gustavo, há aproximadamente uns 2 anos atrás. Eu, totalmente estressado, ansioso e procurando alguma atividade para relaxar, cheguei lá com meu violão debaixo do braço e a primeira pergunta que ele me fez foi a seguinte: o que te trouxe até aqui? Eu me senti tão à vontade e ele me passou tanta paz, que falei praticamente por 1 hora dos motivos que me levaram a fazer a aula de música e do quanto isso era importante para mim naquele momento. Ali, em pouco tempo, já percebi que além de um excelente músico (do qual muito já tinha ouvido falar), o Gustavo também era uma pessoa incrível, dessas que a gente às vezes leva uma vida toda para encontrar.
    Pois bem, fui aprender violão (o que ainda faço até hoje todas as sextas-feiras) com o mestre Gustavo e acabei ganhando um grande amigo. Uma pessoa que a cada acorde, a cada música e a cada dia de aula também me ensinou e ensina a ser mais confiante, mais humilde, mais solidário, mais amigo e a acreditar que as as coisas sempre valem a pena, por mais difíceis que sejam. Portanto, todo o meu carinho e admiração por esse cara brilhante que, merecidamente, foi escolhido o melhor instrumentista da nossa região. Parabéns e um grande abraço, amigão! Tamo junto sempre!

  • Carina Sandré

    O Gustavo é um amigo muito especial, com quem me aconselho sempre sobre muitos assuntos.
    É um dos que me incentiva a buscar aquele algo mais, no que diz respeito a conhecimentos que me auxiliem a fazer meu trabalho cada vez melhor... Cada dia um passo...
    Já estivemos juntos algumas vezes nos palcos e, é sempre um grande prazer, uma grande alegria!
    Não tenho palavras pra expressar meu carinho e admiração.
    Parabéns ao OV pela excelente matéria e pela iniciativa da premiação, isso ajuda a manter a cena viva!Professor, amigo, lutador, parabéns!