Publicidade

Premio

Xeque (Sem Mate)

Volta Redonda: uma Conferência de Cultura que pode dar em nada

CMC também pode fortalecer Rosane Gonçalves ou enfraquecê-la de vez; secretária terá que apresentar propostas e seguir indicações de caminho

Opinião  –  10/07/2013 19:51

1

(Foto: Reprodução/Facebook - Anielli Carraro)

Vazia: Poucos artistas compareceram à Conferência Municipal de Cultura, no fim de semana

Segue uma avaliação, feita durante este ano de percurso, e que divido com vocês agora. Sou dos indignados com o Sistema Político Brasileiro (representativo, corrompido e corrompedor etc. etc. etc.). Mas... Ainda é o sistema que temos e do qual precisamos nos valer ao menos por enquanto. Da mesma forma penso sobre o Sistema Nacional de Cultura. Teoricamente ele avança em políticas públicas de Cultura, mas, na prática, resultados de Conferências são engavetados.

E aqui, faço um mea-culpa, pois acredito que sou um dos responsáveis pelo acompanhamento e fiscalização desse processo e me omito. Então, me organizei para acompanhar a refeitura da lei orgânica, da lei do conselho, do fundo. Dei uma trégua para a nova secretária, Rosane Gonçalves Pinto Magalhães (embora sempre tenha deixado claro que sou de oposição ao governo de El Rey - Antônio Francisco Neto, PMDB), e junto com companheiros e companheiras da área (ainda nos acho muito corporativistas, mas vá lá, talvez seja o momento de o sê-lo) parti para o diálogo. Com ele chegamos até aqui.

Ganhamos muitos pontos no jogo político 

Uma Conferência que pode dar em nada. Mas que na verdade nos apontou caminhos. Um deles (ainda sob minha ótica) foi o de colocar a secretária ao nosso lado, ao menos no que tange ao entendimento do que deve ser a política cultural do município. E ficou claro que ela, ainda tateando no escuro do desconhecimento, quer nossa ajuda para isso. E aí ganhamos muitos pontos no jogo político (aquele que, apesar das vozes nas ruas de todo país, ainda é o que vale, salvo se fizermos uma revolução, coisa que não acredito que aconteça ao menos por agora).

A secretária terá, agora, que apresentar nossas propostas, e, minimamente seguir nossas indicações de caminho. É o que ela tem de concreto. É o que pode fortalecê-la politicamente ou enfraquecê-la de vez! Xeque! (sem mate!).

Mais do que nunca, precisamos estar organizados

E agora, mais do que nunca, precisamos estar organizados para, junto à secretária, encaminhar nossas propostas ao Executivo e Legislativo, com força e organização, e por que não, em conjunto com a sociedade (e aqui falo de sindicatos, organizações sociais e partidos), obrigá-los a aprovar a reformulação da LOM, do CMC, do FMC. Acredito que com as modificações realizadas neles (com nossa participação e com nossas propostas), poderemos ter avanços na política de VR City, e muito especificamente na política cultural.

Fui à Conferência, participei com propostas e paguei para ver. E não vou ficar esperando para ver: já estou, com este texto, dialogando com a secretária e o poder público, apontando erros e caminhos. Dialogamos! Agora que se cumpram os acordos e as regras do jogo! todo mundo vence! Ao menos é a minha opinião!

Passo a passo sobre a Conferência de Cultura

1°- Passamos anos brigando para que El Rey tirasse o bobo da corte porque acreditávamos que poderia ser bom e surtir avanços na Cultura da cidade. 

2° - El Rey trocou o bobo da corte e a nova secretária abriu um canal de diálogo. 

3° - Nós, que ao menos no último ano, acreditando ainda nas Instituições Democráticas Representativas (e participativas), nos organizamos, participamos da feitura da Lei Orgânica do Município (ainda não votada), nos debruçamos no estudo do Sistema Nacional de Cultura, nos reunimos diversas vezes para elaborar uma minuta de Lei para retomar o caminho e o próprio Conselho Municipal de Cultura. 

4° - Durante esse percurso, a nova secretária se dispôs a realizar a Conferência e continuamos a nos reunir e elaborar a minuta, propostas etc. 

5° - Apesar da demora (culpa de El Rey e seu assessor Ricardo Balarini), a publicação da convocação da Conferência e sua divulgação aconteceram e tomamos conhecimento dela. 

6° - Depois disso, aconteceram ainda (que eu me lembre) duas tentativas de reunião. 

7° - Uma fração desse supra citado Nós foi para a Conferência, acreditando ainda num coletivo que havia se formado durante este caminho. Chegando lá não encontramos quase ninguém. Anielli Carraro, para variar, queria esmerdalhar tudo, ficou puta com a secretária, com El Rey e até com o grupo. Desandou a enviar mensagens e postar um relatório em tempo real no Facebook. 

8° - Modificamos o Regimento Interno da Conferência para possibilitar a participação (com voto) de quem chegasse até as 10h do dia seguinte. Outros não teriam direito ao voto. Aí colocamos uma barreira para que oportunistas não chegassem no dia seguinte com um batalhão de choque para votar e eleger delegados (só seriam eleitos os que estavam presentes no primeiro dia), mas, mesmo assim, Adeilson Nenem, do PT, ainda tentou essa prática desprezível. 

9° - Entendendo o momento (digo aqui de minha própria avaliação), eu colocava o tempo todo que o mais importante era traçar política para o município, e não para estado e federação, e que o mais importante era fazer passar pontos importantes para continuar a luta (minuta da Lei do Conselho, a lógica política do Fundo de Cultura, a lógica de interiorização e enraizamento das políticas municipais nos bairros periféricos, a lógica de uma Fundação Municipal de Cultura, a lógica da profissionalização dos funcionários da Secretaria). 

10° - Feito isso tudo, amarramos em proposta que a secretária seria a responsável por encaminhar tudo para Executivo e Legislativo, logo após o recesso do Legislativo.

Por Giglio  –  gigliovr@facebook.com

1 Comentário

×

×

×

  • Anielli Carraro

    Giglio, meu queridíssimo irmão e velho amigo, acho que encontrei mais um ponto para discordarmos, entre tantos outros e mais alguns nos quais concordamos completamente, o sentido de "esmerda-lhar", eu não entendi. Se" esmerda-lhar" significa cobrar alguns itens que se fizeram extremamente necessários no caminho até a conferência e que, fizeram muita falta, como divulgação antecipada e clara a tempo, então, eu dou minha cara pra bater e faço coro a você, pois "esmerdalhei" mesmo a porra toda e cobrei neste sentido, mas, se "esmerdalhar" estiver no sentido de "atrapalhar", aí, meu caro, discordo totalmente, pois estive junto ao grupo Conferência Já, todo o tempo e tenho certeza que só contribui com o mesmo para fortalecer nossos objetivos desde o princípio. Portanto, conserta isso aí! Ok? Beijo na sua alma maluca que é irmã da minha. Te amo