<

Publicidade

DJ

Olho Pop

Cláudio Alcântara

claudioalcantaravr@hotmail.com

Nas Ondas do Rádio

Dário de Paula mostra os bastidores do seu programa e responde perguntas polêmicas do OLHO VIVO

Comunicador diz que faz uma prestação de serviços para a comunidade; com 55 anos de trabalho, se mantém antenado com as novidades

Perfil  –  23/09/2012 18:25

Dário

(Fotos: Divulgação)

Dário Andrade de Paula nasceu em Barra Mansa,
em 23 de março de 1947 e é flamenguista 

Traçar o perfil de Dário de Paula pode parecer complicado. Não é. Bastam as perguntas certas que as respostas fazem o resto. E ele é bem direto. “As palavras rádio e Dário têm as mesmas letras. Predestinação ou mera coincidência?”, diz. Um enigma que o OLHO VIVO decifra com facilidade, afinal, basta ouvir o “Programa Dário de Paula” (88,3 FM, de segunda a sexta-feira, das 6 às 9h) para ter certeza de que ele ama a profissão que escolheu ainda menino.

Dário Andrade de Paula nasceu em Barra Mansa, em 23 de março de 1947. É do signo de áries, ascendente em peixes e lua em gêmeos (sim, ele acredita em astrologia). Gosta de cinema, de preferência, filmes de ação, exposições, leitura e música (todos os tipos de música, ele tem mais de 4 mil CDs, organizados pela mulher e desorganizados por ele, pois a cada dia ouve um gênero musical). Ama comprar CD, embora saiba que existem formas mais modernas de ouvir música. Gosta muito de viajar e conhecer novos lugares.

O comunicador também ama esportes - todas as modalidades esportivas - e é do tipo que torce muito. Já foi locutor esportivo e diz que sempre se realizou nessa área. O flamenguista fala de tudo um pouco nesse bate-papo com o OLHO VIVO, até da participação do prefeito Antônio Francisco Neto (PMDB) em seu programa. E adianta algumas novidades, como a plataforma na internet que está sendo desenvolvida com um programa específico que vai interagir com o público o dia todo.

“Assim como devem existir críticas
à participação do prefeito em meu
programa, também recebo apoio”

AM versus FM - As rádios estão acompanhando a evolução dos meios de comunicação. AM, FM, internet, TV - para tudo tem um público ávido por informações.

Liberdade de expressão - Há 22 anos mantenho o “Programa Dário de Paula”, de segunda a sexta-feira, das 6 às 9h. Comecei a me interessar por rádio aos 10 anos, acompanhando meus ídolos da Rádio Siderúrgica - ZYP 26. Ali comecei a trabalhar e, na década de 80, fui para o Rio de Janeiro trabalhar na Rádio Nacional e depois na Rádio Tupi. No Rio fui apelidado de Peito de Aço, numa alusão à minha cidade, Volta Redonda. Em tantos anos de vida profissional vi o Brasil passar por diversos regimes políticos, assisti a muitas coisas interessantes e outras não. Faz parte da vida de todos. Na Rádio 88,3 FM, onde estou há 21 anos, sempre tive total liberdade de trabalho, sem interferência na linha editorial, o que acho muito importante dentro do processo democrático em que vivemos.

Prefeito Neto no programa - Assim como devem existir críticas à participação do prefeito em meu programa, também recebo apoio, pois é um bom canal para o chefe do Executivo se comunicar com grande parte da população. Prefiro ouvir as palavras de apoio, pois o espaço é liberado para o chefe do Executivo, seja ele quem for, de que partido for, e não para uma determinada pessoa. Há vários anos, no meu programa, quem fala com a população é o prefeito, prestando contas do seu trabalho. Já é uma tradição.

Eleições 2012 - A minha participação política é ligada ao profissional que sou e que represento na comunidade. Em épocas de eleição, o profissional faz um trabalho, mas o programa continua acontecendo, independente das eleições. O programa é uma prestação de serviços para a comunidade.

Dário

A equipe do programa é formada por dez profissionais

Produção do programa - Começa na madrugada, quando vamos para as ruas. Eu vou para a distribuidora de jornais, dar uma lida em todos os jornais que destacamos: “Estadão”, “Folha”, “O Globo”, “O Dia”, “Agora”, “Extra”, “Meia Hora”, “Valor Econômico”, “Jornal do Comércio” e todos os jornais locais: “Diário do Vale”, “Aqui”, “Foco Regional”, “Folha do Aço”, “A Voz da Cidade”. Outra equipe vasculha a internet. Outra vai à Delegacia de Polícia.

Equipe do programa - A equipe é formada por dez profissionais. Comunicadores: Dário de Paula e Sérgio Luiz. Jornalistas: Claro Mariano, Daniel Barreto de Carvalho, Fernando Pedrosa e Douglas Gonçalves. Estudantes de jornalismo: Renan Cury e Juliano Cury. Secretária executiva: Silvânia Andrade. Produção geral: Nilson Moura. Operador: Régis (O Sombra). Participações especiais: Gil Cardoso (jingles), Arthur (meu netinho de 5 anos que começou a gravar vinhetas aos 4 anos) e William (filho do Regis). 

Vinhetas - Temos dezenas de vinhetas amadas pelo público, muitas baixadas em downloads disponíveis em nossa página na internet. Por causa da internet, recebemos e-mails de diversos países do mundo, onde existem pessoas da nossa região. Para cumprimentar essas pessoas, criamos uma vinheta com o “Bom Dia” em vários idiomas. Essa vinheta faz sucesso, pois estando distantes as pessoas se sentem abraçadas. 

Formato do programa - Abertura, com uma grande informação em nível nacional. Variedades, como informações sobre as previsões do clima para a semana, situação nas estradas, hora certa - o grande destaque acontece às 6h20, com o famoso “Olha a Hora”. Devemos lembrar que Volta Redonda é uma cidade operária e que os trabalhadores precisam sempre estar a par do horário. Esportes. “Plantão de Notícias”. Seção de aniversários. Noticiário atualizado de minuto a minuto com o pessoal de olho na internet. Um destaque vai para as informações sobre os falecimentos, pois as pessoas que vieram de várias partes do país para trabalhar na CSN e que se perderam com o crescimento da cidade ficam sabendo quem morreu e podem prestar uma última homenagem aos familiares. A seção de aniversários também é um case, pois a cidade se liga em saber quem está fazendo aniversário. Temos espaços para entrevistas, apoio a causas sociais, ajuda a várias pessoas, utilidade pública, enfim, o programa tem uma dinâmica muito grande. Aconteceu, o público fica sabendo!

Concorrência - É um fator saudável em todos os campos profissionais e não poderia deixar de ser assim com programas de rádio. Portanto, acho que existem públicos para todos os tipos de programa.

Da´rio2

Pesquisa de audiência realizada pelo instituto Mind

Rádio e TV - São veículos diferentes e têm seus públicos específicos. Há alguns anos tive uma participação como comentarista esportivo na TV Rio Sul e gostei muito. Tiro o chapéu para profissionais de TV, pois é um veículo trabalhoso. Quem faz TV mata um leão por dia.

Público - O público muda todos os dias. O importante é o profissional se adequar ao que o público quer. Para mim é emocionante ouvir algumas histórias de ouvintes. Uma delas é a de uma jovem médica que diz o seguinte: “Quando era apequena, ia para o colégio no carro do pai ouvindo o meu programa. Foi para a faculdade e todas as segundas-feiras o pai a levava até a rodoviária e ela ia ouvindo o programa. Hoje, formada, ela leva o filhinho para a escola ouvindo o programa”. São várias gerações. São muitos casos interessantes! E, como diz o Rei, são muitas emoções!

Influências locais - O meu amigo querido Nélio de Andrade, meu mestre. E também o saudoso Ubirajara Ramos. Nacionais: Jorge Curi, Waldir Amaral, Haroldo de Andrade e meu amigo Clóvis Monteiro, da Rádio Tupi.

Rotina para o trabalho - Meu primeiro apoio vem de casa, da minha mulher, a jornalista Helenice Netto. Recebo dela o apoio necessário para dormir cedo e acordar mais cedo ainda. Ela toma conta da minha agenda de uma forma tão firme que recebeu o delicado apelido de “Coronel”. E eu que obedeça! Além disso, ela ajuda na produção do programa, está sempre com o celular na mão para ligar e alterar alguma coisa na produção. Como ela é jornalista, tem o verdadeiro timing para o noticiário. Na minha equipe já existe o bordão: “coronel mandou fazer”. Tem também a Agência Troup Comunicação, que dá suporte aos clientes e aos comercias veiculados no programa. A Troup fica sob o competente comando de minha filha, a publicitária Clarisse Netto, que conta com uma boa equipe: o publicitário Gleison Pires, o jornalista André Pinheiro e as estudantes Roberta e Taís.

Dário3

Dário e a mulher dele, a jornalista Helenice Netto

Novidades - Uma das boas novidades do “Programa Dário de Paula” é a nossa página na internet, onde temos um link para deficientes visuais. Estamos agora desenvolvendo uma plataforma na internet com um programa específico que vai interagir com o público o dia todo. Outro ponto interessante é o espaço que estamos abrindo junto aos estudantes de comunicação. Eles permitem a renovação diária de nossos conhecimentos, principalmente diante das mídias sociais. Enfim, para um profissional de 65 anos de idade, com 55 anos de trabalho na área de comunicação, entre jornal, TV, radiojornalismo e radioesportivo, acredito ter escolhido o caminho certo. É a profissão que amo, que escolhi ainda menino e que me fez ser o homem realizado que hoje sou. Parafraseando o poeta, posso dizer que o rádio me deu régua e compasso! Aquele abraço!

Por Cláudio Alcântara  –  claudioalcantaravr@hotmail.com

5 Comentários

×

×

×

  • marcus sobreira

    Parabéns Dário, ótima matéria e que você continue alegrando nossas manhãs por mais 20 anos!!!!!

  • Ceciema de Souza

    Adorei a matéria, parabéns aos amigos do peito, Dário e Lelê

  • Mais comentários