<

Publicidade

Premio

Independência ou Mesmice?

Eventos apostam em novas ideias e músicas alternativas

Nas festas "Inferno", "You Cant Buy The Kids", "Subbacultcha" e "Brutal Fest" foco não é a bebida liberada ou a promoção das mesmas

Cena alternativa  –  18/01/2013 14:36

1

(Fotos: Divulgação)

Sick Visions é uma das atrações do "You Cant Buy The Kids"

Quando se fala em vida noturna em Volta Redonda você tem duas opções: Independência ou mesmice. Ou você está aberto para novas ideias, músicas alternativas, ou você gosta do que está na moda e toca nas rádios. Como essa coluna existe para divulgar exatamente quem procura por um espaço ao sol, vamos falar aqui da primeira opção, de quem corre atrás e segue a filosofia do "Faça Você Mesmo".

Avesso aos combos oferecidos nas casa noturnas da cidade, várias pessoas produzem eventos onde o foco não é a bebida liberada ou a promoção das mesmas, mas sim a atração principal: a música. De maneira independente, festas como a "Inferno" (que já vai para a quinta temporada este ano), existe também a "You Cant Buy The Kids" e a estreia de dois novos eventos: "Subbacultcha" e "Brutal Fest". Dessas festas citadas, você pode ter contato com diversos subgêneros do rock, como o punk rock, o indie, o rockabilly, o metal, entre outros, provando que existe sim um público carente de opções alternativas na região.

Quem disse que o que é adorado pela
grande massa é sinônimo de qualidade?

2 

Iguanas

Existem muitas opções alternativas ao que é anunciado nas rádios ou TVs da região. Aliás, as programações mais interessantes geralmente acontecem de maneira mais discreta, em pequenos espaços e estão fora desse circuito de divulgação. Neste sábado, 19, por exemplo, acontece no Piano´s Bar Embaixador a estreia da festa "Subbacultcha", produzida por Carlos Braz, que também é guitarrista e vocalista da banda Iguanas.

3 

Quarto Do L

A festa promete o melhor da música alternativa com os DJs Zezelvis e Neno, além dos shows das bandas Quarto Do L e Iguanas, que fará o lançamento do CD "Respostas certas para perguntas erradas". O álbum traz ao mesmo tempo o amadurecimento da banda em algumas faixas, e em outras um retorno às músicas rápidas dos primeiros CDs demo, sem deixar de mostrar suas influências básicas como Ramones, Nirvana, Sex Pistols, Pixies. A entrada da desta custa R$ 15 ou R$ 10 com o nome na lista amiga. Para incluir seu nome envie e-mail para: iguanastour@gmail.com 

No domingo, 20, é a vez da segunda edição do evento punk "You Cant Buy The Kids", que acontecerá no Espaço Vip, no Aterrado em Volta Redonda. Dessa vez, conta com a participação da banda espanhola Appraise, que estará em tour pela América do Sul, e fará os primeiros shows no estado, sendo um deles em Volta Redonda. A banda apresenta um hardcore old school, e promete um show contagiante, com influências de bandas como Insted, Youth of Today, Bad Brains e Chain of Strenght.

3 

As outras bandas que se apresentarão são Direct Shot, de São Paulo, e pela primeira vez fora do estado, e as locais Nossa Vitória, Sick Visions e Deaf Kids (que vem fazendo shows nos principais circuitos do país como Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo). Na ocasião, a banda fará o lançamento do LP 7 "Six heretic Anthems for the deaf".

4 

Deaf Kids 

Além dos shows, o evento contará com a expo dos artistas Iran Costa Sujeira e Bruno Lorenzo Creator, concurso rei e rainha do Stage Dive, jam com MC Cobra Preta, discotecagem com DJ Cro-média e Beat Bass Hightech, e venda de materiais independentes das bandas e comida vegetariana. A entrada custa somente R$ 8 e o evento começa a partir das 16h. 

Na próxima semana, no dia 26, é a vez da estreia do "Brutal Fest", que acontece no Espaço Vip e tem a proposta de trabalhar a cada edição um determinado gênero, e assim abrir espaço para a cultura underground que se faz bem mais presente agora. O primeiro evento será dedicado ao público de metal extremo com as bandas Stodgy, de Barra do Pirai, Dark Slumber, de Volta Redonda, e Monstractor, de Resende. O Brutal Fest terá a cobertura de uma web radio fazendo entrevistas e flashes ao vivo das apresentações. Para as próximas edições serão apresentados outros estilos como bandas alternativas, experimentais e de noise. 

Ocupação em busca de um espaço alternativo 

Além das festas organizadas em espaços fechados, acontecem também ocupações de espaços públicos como a "Feira Grátis da Gratidão", que é uma feira onde as pessoas levam o que

quiser ou nada, e pegam o que quiser ou nada. Esse tipo de feira acontece em diversas cidades do mundo e paralelo às doações materiais existe também a doação das pessoas em manter o espírito de fazer o bem sem esperar nada em troca, além de ser um espaço para apresentações artísticas em geral.

5 

Feira Grátis da Gratidão 

Outros exemplos de ocupação de espaço público na cidade são a "Roda de Rima", a recente "Salve Geral" e as aparições surpresas realizadas pela banda Amplexos nas praças e feira livre em Volta Redonda (que também já aconteceu na Praia de Ipanema, Pedra da Gávea e Lapa).

6 

Amplexos começa o ano com uma apresentação na Praia de Ipanema 

A principal diferença dessas ocupações para os eventos fechados está na estrutura, embora o foco seja o mesmo: divulgar o seu trabalho. Existem vantagens e desvantagens em ambos os casos. Enquanto os eventos fechados colaboram para uma melhor acústica e estrutura e é realizado para um público segmentado (o consumidor real do tipo de música apresentada), eles possuem um custo elevado com aluguéis dos espaços, dos equipamentos, equipe de apoio, bandas, divulgação etc., e na maioria das vezes dependem de pequenos apoios e da bilheteria para se manter. Já as ocupações dos espaços geralmente têm uma estrutura menos favorável, mas a vantagem é que se pode atingir um público que normalmente não conhece sua música ou trabalho, além de ser uma atividade sem custo para o consumidor e mais democrática.

7 

El Niño em apresentação no evento "Salve Geral" 

Faça a sua parte 

Valorize os eventos independentes. Divulgue, compareça e faça questão de pagar a entrada (quando tiver cobrança de ingressos) porque a maioria dos eventos depende da bilheteria para sobreviver. Não é porque você conhece alguém da banda, o dono do espaço ou o produtor que você deve achar que pode entrar de graça. Na verdade, justamente por conhecê-los é que você deveria ser o primeiro a querer colaborar. Não entendo essa cultura (de alguns) de querer sempre entrar de graça nos eventos independentes. Esses nunca têm dinheiro para comprar o ingresso, mas têm sempre o da cerveja. A esses que preferem a bebida do que o evento em si, indico que se programe pelo que é anunciado nas rádios. Tem combos e mais combos nas casas noturnas de Volta Redonda. 

> XTRAS 

Quarto do L no Jukebox Sessions

Deaf Kids no Jukebox Sessions

Por Xan  –  zineiromaldito@hotmail.com

Seja o primeiro a comentar

×

×

×