<

Publicidade

Premio

Volta Redonda e Piraí

Do Sul Fluminense para as salas de aula do Brasil

Professores da região têm coletânea de livros didáticos aprovados pelo MEC e incluídos no PNLD 2013

Cidades  –  11/09/2012 11:54

57

(Foto: Divulgação)

Maurício Jorge Bueno Faria, de Volta Redonda,

e Lucinéia Machado de Oliveira, de Piraí

Imagine ter uma coletânea de livros pedagógicos aprovados, sem restrição, pelo MEC (Ministério da Educação) e, ainda, incluídos no PNLD (Programa Nacional do Livro Didático), em 2013, para ser estudado por alunos de todo Brasil. Esse mérito foi conquistado pelos professores Maurício Jorge Bueno Faria, de Volta Redonda, e Lucinéia Machado de Oliveira, de Piraí. Educadores que são exemplos de que as cidades do interior podem ser referência e fazer a diferença quando o assunto é iniciativa em prol da educação.

Do Sul Fluminense para o Brasil, com a aprovação, os educadores vão exportar conhecimento para todo o país com a publicação dos livros voltados para alunos que cursam a 1ª fase do ensino fundamental (do 1º ao 5º ano). A coletânea de livros didáticos de ciências, com o nome “Agora é hora” - publicada pela editora Base Editorial de Curitiba, organizada por unidades temáticas, em quatro volumes, que variam de 150 a 180 páginas tem como foco principal a sustentabilidade.

Dever cumprido

A sensação em ter o trabalho reconhecido pela maior instituição do país, o MEC, só pode ser descrita por um educador comprometido com a sua profissão: a satisfação do dever cumprido. 

- É gratificante, pois levamos muito tempo para elaborar esse material, que é atualizado. A sensação é a de que vamos contribuir bastante com professores e alunos. É bom poder contribuir com a melhoria do ensino, com a elaboração de um livro bem formatado, que tem muitos exercícios e atividades interessantes - destacou o professor, que há 15 anos é funcionário do estado e divide seu tempo ao ministrar aulas de química para o ensino médio; no curso de biologia no UBM (Centro Universitário de Barra Mansa), em Barra Mansa; e como coordenador de ciências, em Piraí.

Parceria exemplar

Segundo o professor, todo processo de produção do livro é resultado de um trabalho que durou cerca de dois anos, realizado em uma parceria de sete anos com a professora e diretora do Ceamtec (Colégio Estadual Afonssina Mazzilo Teixeira Campos), Lucinéia Machado de Oliveira, de 56 anos - que leciona há 34 anos.

- A principal dificuldade foi colocar no papel a experiência que temos de longa data. O maior entrave é o tempo, já que o trabalho demanda pesquisa para a elaboração, além de passar pelo crivo do MEC - disse a professora destacando:

- Passar sem restrição é muito importante.

Nas escolas em 2013 

A editora entrou com o livro no edital do MEC, que leva em média, seis meses para avaliação e, em março, receberam a notificação de que ele, em 2013, estará nas escolas.

- Trabalhamos há algum tempo com a produção de livros didáticos. Fizemos uma coleção anterior, que não foi aprovada pelo MEC, mas recebemos um convite da editora e tivemos aprovado o livro “Agora é hora”, sem restrição, na avaliação do MEC - comemora o professor.

Inspiração que vem do cotidiano

Segundo os autores, o dia a dia da profissão serviu como inspiração para criar um livro que facilitasse o ensino-aprendizado de professores e alunos. De acordo com Lucinéia, o ambiente e os seres vivos, mas, principalmente, a sustentabilidade é um tema diferenciado contido na coletânea.

- O foco para esse trabalho foi buscar a sustentabilidade, assim como ensinamentos para que o aluno preserve o ambiente e reutilize materiais. Os livros têm atividades práticas e coletivas, de trabalho de campo com pesquisa. A gente valoriza muito o trabalho em grupo, tanto que sempre sugerimos para o início das aulas uma atividade oral e de interação entre professores e alunos - complementou.

Próxima etapa

Sem pensar em parar, segundo Lucinéia, a próxima etapa é reformular o livro:

- Para nós, que estamos na área da educação a sensação dessa conquista é muito boa e gratificante. Muito em breve começaremos a reformulação desse livro para a próxima inscrição do MEC, pois assim como a ciência, que muda o tempo todo, é preciso reformular.

Com exemplos tão próximos em nossas cidades, alguém ainda duvida de que valha a pena reformular os conceitos e investir em educação?

Por Aline Gouvêa  –  alyne-gouvea@hotmail.com

3 Comentários

×

×

×

  • Débora Bueno

    por favor!! fiz um comentário na pagina errada, me corrijam. agradeço.

  • Redação do OLHO VIVO

    O erro foi corrigido.

  • Mais comentários