<

Publicidade

Premio

Pesquisa

Iniciação Científica Júnior no UniFOA

Projeto permite a aproximação de alunos do ensino médio desde cedo ao Centro Universitário de Volta Redonda

Ciência e tecnologia  –  22/03/2017 12:19

6049

(Foto: Divulgação)

Alunos do Colégio Estadual Célio Barbosa Anchite,

de Pinheiral, conheceram os orientadores dos PICs

 

Quatro alunos do Colégio Estadual Célio Barbosa Anchite, de Pinheiral, conheceram os orientadores dos Projetos de Iniciação Científica (PICs) dos quais eles farão parte durante o ano. Intitulado “Iniciação Científica Júnior - Uma porta para ciência e tecnologia”, a ideia é inédita no UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda) e permite a aproximação de alunos do ensino médio desde cedo à instituição.

Os futuros universitários irão trabalhar em conjunto com professores e acadêmicos nos melhores PICs submetidos no ano passado. 

Os temas selecionados foram:

. Efeito de compostos orgânicos no controle de formigas cortadeiras dos gêneros Atta fabricius, 1804, e Acromyrmex mayr, 1865;
. Relação entre direito comercial e consumerista à luz da concretização do desenvolvimento socioeconômico;
. Proposta de uso da casca de banana como biossorvente para remoção de corantes de efluentes da indústria têxtil;
. Desinfecção solar da água: implantação de tratamento alternativo de água para população de baixa renda. 

Segundo a professora Denise Godoy, responsável pelo Núcleo de Pesquisa, esses PICs foram escolhidos de acordo com a nota e área de interesse desses jovens. 

- O encontro dos alunos de ensino médio com os professores universitários serviu para estreitar essa parceria que se estenderá durante todo o ano - explicou. 

A definição dos estudantes foi feita de acordo com os resultados escolares, segundo a diretora da escola, Graça Lima. 

- Os professores apontaram os alunos que tiveram melhores rendimentos e que demonstraram algum interesse por pesquisa. É muito gratificante para nós fazer parte desse projeto, porque é um incentivo tanto para os jovens, quanto para os outros da escola que também vão querer ter essa vivência. 

Ansiedade para começar é o que resume a aluna Débora Carvalho. 

- Desde quando fui escolhida fiquei muito feliz, porque a experiência irá ajudar a decidir o meu futuro. Eu estou conhecendo o UniFOA agora e já me sinto honrada - revelou. 

A pesquisa científica é parte de uma formação universitária e também ajuda a construir um futuro melhor. 

- Ao trazermos esses alunos que ainda estão no segundo ano do ensino médio para dentro do centro universitário, estamos contribuindo para um avanço na futura vida acadêmica deles e para a melhoria do nosso planeta - acredita o pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação, Alden dos Santos Neves.

Por Assessoria de Comunicação  –  contato@olhovivoca.com.br

Seja o primeiro a comentar

×

×

×