Publicidade

DJ

Mudar o Mundo

A temática filosófica e reflexiva de Tito Mellão Laraya

Além de - Muito barulho por nada -, escritor se prepara para lançar - Meu mundo e nada mais -

Entrevistas  –  28/05/2018 23:21

1

(Fotos: Divulgação)

_______________________________________________________

“Enquanto no primeiro há dúvidas para encontrar o caminho, mas a semente deste já brota em suas páginas, no segundo se depara com o objetivo do caminho, não há mais só dúvidas, mas o livro é repleto de certezas”

(Tito Mellão Laraya)

_______________________________________________________

Francisco Mellão Laraya, brasileiro, solteiro, advogado, músico clássico e escritor, natural de São Paulo, nasceu em 1957, Católico Apostólico Romano, formado pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Como escritor retrata o quotidiano com forte influência de Fernando Pessoa. Recebeu os seguintes títulos e condecorações: Acadêmico Correspondente da Academia Rotaria de letras, Artes e Cultura, Prêmio de Excelência Literária do Rotary, Medalha Luiz Vaz de Camões, o título de Barão das Letras, Comendador Grão Colar da Embaixada da Poesia, Embaixador da Poesia, Prêmio Carlos Drumond de Andrade, Construtor da Brasilidade, além de participar da Academia de Artes e Letras de Fortaleza, e do Rotary Club. 

Confira a entrevista com Tito Mellão Laraya 

Escritor Tito Mellão Laraya, é um prazer contarmos com a sua participação. Conte-nos o que inspira na construção de seus textos literários?

O que me inspira na construção de meus textos é a obra de Fernando Pessoa, alinhado com uma interminável seção de psicoterapia, que gentilmente nas páginas do meu escrever convido o leitor a fazer, onde procuro o meu eu, e convido ao meu leitor a seguir o mesmo caminho. 

O que a escrita representa para você?

A palavra escrita representa para mim o encontro de mim comigo mesmo. 

Que temáticas estão sendo abordadas em “Muito barulho por nada”?

O livro é uma coleção de crônicas sobre o ser ou não ser ético, uma coisa que muito falta nos dias de hoje. E abranda o lado interior de cada um, tanto na política, como no dia a dia, sem esquecer-se de passar pela sociedade. Escrito de uma forma simples, algumas vezes sarcástica, sem nunca perder o bom humor. 

Como foi escolhido o título?

O título é o de uma comédia de Willian Shakespeare, como abordo a temática da dúvida do ser, presente na obra do bardo inglês, principalmente em Hamlet, resolvi utilizar o mesmo título em minha obra. 

Apresente-nos um dos textos publicados nesta obra literária?

 A Reflexão
O ato de refletir é uma forma de se reinventar. Nenhuma pessoa reflete sobre onde não há problemas, é necessária uma crise para pensar, aonde se chega à conclusão de remodelar o que há.
A coragem de viajar sobre o infinito dos pensamentos, caminhando pelo desdobramento das ideias, encarando não só a realidade, como também a interpretação dela, leva o ser humano a se mudar.
Talvez não seja no todo, mas em partes, e juntando as partes de um dia, com os pedaços de outro, em algum tempo tem-se uma nova forma de encarar a realidade.
Alguns fazem isto escrevendo, e a forma deste diálogo imaginário transborda nas letras impressas, nas folhas de um papel, outros fazem meramente pensando, e quando chegam a conclusões resolvem escrevê-las, mas não acham tempo, situação ou oportunidade, na verdade gravam no fundo da alma as impressões deste passeio, através das profundezas do ser.
Uma música toca ao longe, me chama novamente a realidade, eu que estava absorto nos meus pensamentos.
Acabo de voltar de uma viagem no meu pensar, dizem que não se volta da travessia da mesma forma com que começou.
E vou vivendo meu quotidiano pensando, mudando, crescendo: Uma metamorfose ambulante! 

Além de “Muito barulho por nada” já temos o lançamento no prelo de “Meu mundo e nada mais”. O que os diferencia?

Enquanto no primeiro há dúvidas para encontrar o caminho, mas a semente deste já brota em suas páginas, no segundo se depara com o objetivo do caminho, não há mais só dúvidas, mas o livro é repleto de certezas.
A capa do primeiro livro é uma confusão de cores onde mais se parece com uma enorme interrogação, no segundo a imagem nítida de D. Quixote, um personagem que no seu viver sabia ver o belo. 

Os seus livros estão em alguns bibliotecas nacionais e internacionais. Comente.

Tem livros nas seguintes bibliotecas, entre outras: Braziliana da USP, Florestan Fernandes da USP, Mario de Andrade, Coimbra, Biblioteca de Congresso Americano, de Roma, Turim Veneza, Vaticano, entre outras. 

Quais os seus principais objetivos como escritor?

O meu sonho de mudar o mundo nunca morreu, mas a minha arma de revolucionário sempre foi uma caneta, portanto meu objetivo como escritor é fazer um mundo melhor para cada um. 

Pois bem, estamos chegando ao fim da entrevista. Muito bom conhecer melhor o escritor Tito Mellão Laraya. Agradecemos sua participação. Conte-nos, em sua opinião, o que cada leitor pode fazer para ajudar a vencermos os desafios no mercado literário brasileiro?

A resposta é simples: Lerem mais livros.

_______________________________________________________

Fique de Olho

> Onde comprar o livros - “Muito barulho por nada”, por meio dos links abaixo: Cultura - Saraiva - Martins Fontes - Travessa - Chiado“Meu mundo e nada mais”, em breve, na livraria da Empório EditoraDemais livros podem ser encontrados por meio deste link

_______________________________________________________

Por Shirley Cavalcante  –  smccomunicacao@hotmail.com

Seja o primeiro a comentar

×

×

×