Publicidade

Aguás Quentes

Principais Pontos

O que precisa ser mudado no transporte público da região

Carta enviada para todas as empresas de ônibus, em maio de 2011, sem obter qualquer tipo de resposta de nenhuma delas

Cartas  –  07/01/2013 16:11

721

(Foto Ilustrativa)

Treinamento, fiscalização, normas

e cobranças fazem com que a empresa

mostre seriedade e competência

 

Nem sei ao certo como começar, só sei que gostaria que isso resultasse em mudanças! Sou usuária de transporte coletivo de empresas de Volta Redonda e Barra Mansa há muitos anos e confesso que a cada um deles que passa fico mais decepcionada com o serviço oferecido. Não estou falando em atrasos nos horários, conservação dos coletivos, nem o que considero abusivo, que é o valor da passagem. Falo do serviço prestado pelos motoristas e cobradores.

Poderia enumerar dezenas de “pontos” que são motivos de reclamações de várias pessoas que conheço, porém, vou colocar aqui os que considero mais urgentes e significativos:

_ A roleta que, por muitos anos, sempre ficou atrás, mudou para frente exatamente por que razão? Bom, a meu ver foi para que o motorista e cobrador ficassem mais próximos, a ponto de acharem que estão numa sala de estar batendo papo.

_ A impaciência dos motoristas e também dos cobradores com os idosos se deve a quê? Será que “os mesmos” tomam elixir da juventude e nunca irão envelhecer?

_ A música evangélica e o funk são necessariamente “gosto” de todos os usuários? Ah, nem todos temos problemas auditivos para um som tão alto... Fica a dica!

_ Qual é a diferença em se dar um “bom dia” para uma pessoa qualquer que entra pela porta ou para um colega de trabalho? O humor não é o mesmo por qual razão?

_ Ah, o celular... Dirigir falando com quem quer que seja ao celular é aceitável para um profissional que tem sob sua responsabilidade tantas vidas ao mesmo tempo ?

_ A câmera instalada nos coletivos, disseram-me que era para que os idosos subissem e mostrassem a carteira de identidade para “ela”, mas, vamos por partes. Quando eles sobem, eles têm que escolher: ou se equilibram para não cair ou mostram a carteira para a câmera.

_ Não se pode parar fora do ponto de ônibus, nem para embarque nem desembarque, mas isso não serve nem para “os colegas” de trabalho, nem para as “bonitas” de corpinho escultural, os idosos sem chance, por quê?

_ O retrovisor, pelo que entendo, serve para que tenhamos uma visão da parte traseira do veículo, certo? Então, por que será que muitos idosos não são vistos quando entram no coletivo? Será que o tamanho do retrovisor não está compatível com a visão do motorista?

_ Nem todo idoso é “surdo”, então gritar para mostrar a carteira, para se sentar ou para se decidirem se entram ou não no ônibus não tira deles a desorientação que por conta da vida eles adquiriram.

Será possível que a mesma câmera que é instalada no ônibus para fiscalizar a entrada dos idosos não mostra esses detalhes, ou então ela não está bem direcionada. Educação, respeito, amor ao próximo e dedicação ao trabalho faz de qualquer ser humano um bom trabalhador. Agora treinamento, fiscalização, normas e cobranças fazem com a empresa mostre seriedade e competência. Existem, sim, profissionais nesse meio que fogem totalmente de tudo que foi escrito aqui, mas são raros. A esses dou meus parabéns e que continuem a serem assim, dedicados a suas e às vidas do próximo!

Espero sinceramente que esse e-mail seja lido com carinho e que algum tipo de providência seja tomada. 

> Simone Basto Lopes Cury, Volta Redonda

4 Comentários

×

×

×

  • Hägar, o horrível

    A leitora do Olho Vivo tem razão em muitos pontos apresentados. Mas em outros, nem tanto. Vamos debater alguns: a roleta está em posição correta quando de seu deslocamento para frente, causa mais segurança ao usuário no embarque ocasionando visão mais próxima do motorista, evitando erros em arrancadas com pessoas ainda embarcando (o embarque demora mais pelo ato de pagar a passagem). O grande problema das roletas é achar que estamos num país em que todos estão fininhos e em forma. Não reclame dos motoristas impacientes com idosos. Aqui em Volta Redonda, pelo que presencio eles até respeitam muito. Vai ver no Rio. Quanto as infernais músicas evengélicas e funk a leitora tem razão. O poder público regulador deveria permitir somente a sintonia de rádios com música ambiente tipo consultório médico. É claro e evidente que as câmeras foram instaladas para coibir assaltos, o uso para filmar as carteirinhas é apenas aproveito de função. As paradas tem que ser feitas rigorosamente em pontos e para todos, senão vira bagunça.

  • Fabinho

    Falou tudo Simone!!! Muito bem mesmo!! Cláudio vc é o cara!

  • Mais comentários