Publicidade

DJWesley

Monólogo

Luciene Martes estreia "Galo na rinha"

Espetáculo, escrito e dirigido por Alexandra Garnier, será apresentado uma única vez em Volta Redonda, no Gacemss II

Teatro  –  09/09/2012 12:55

47

(Fotos: Divulgação)

Em cena: Luciene Martes volta a atuar em um monólogo

e vai se apresentar no Rio de Janeiro 

A atriz Luciene Martes protagoniza mais um espetáculo nesta quarta-feira, dia 12. O monólogo “Galo na rinha”, de Alexandra Garnier, será apresentado uma única vez em Volta Redonda, no Gacemss (Grêmio Artístico e Cultural Edmundo de Macedo Soares e Silva) II, às 20h30. A grande estreia está prevista para 20 de setembro, na Casa da Gávea, no Rio de Janeiro. A atriz não apresenta um monólogo desde o premiado “Apareceu a Margarida”, de Roberto Athaíde, quando conquistou cinco prêmios de melhor atriz.

A parceria entre autora e atriz já é antiga. Alexandra Garnier escreveu e Luciene atuou no curta-metragem, “O mundo de Salete”, dirigido por Beto Mello. O filme foi exibido no V Ibero Brasil Cine Festival em 2009. A parceria também se repetiu na blog novela “Banco alto e uma luneta”, dirigido por este colunista, e exibido no blog da autora em 2009.

Em 2012 a parceria continua, mas dedicada à pesquisa da percepção da solidão humana em algumas de suas diversas formas, buscando suas facetas dramáticas e cômicas. “Galo na rinha” foi escrito especialmente para Luciene. A peça apresenta histórias de seis personagens extremamente humanos, que falam sobre diversas formas de solidão, por meio de abordagem comovente e bem humorada.

Fugindo dos estereótipos
Linguagem teatral: Peça investiga a relação entre o real e o imaginário

A autora também assina a direção e busca fugir dos estereótipos para utilizar a liberdade que a linguagem teatral permite para investigar a relação entre o real e o imaginário. É a primeira vez que Alexandra dirige um espetáculo e revela:

- Eu sou muito mais autora do que diretora. É difícil ter uma visão geral. Mas, por ser a própria autora, eu sabia o que e como eu queria dizer.

Alexandra ainda destaca o talento da atriz:

- A Luciene também é superexperiente e generosa, isso ajudou muito.

Para Luciene, a amizade foi um fator que contribui muito para o processo.

- O ponto mais valioso foi ter misturado a experiência da Lelê (como a autora é conhecida entre os amigos), que é uma artista fora dos palcos, com minha experiência como atriz. Sempre uma levava novas referências para outra, e com tanta afinidade que temos tudo se encaixou - comenta.

A atriz mantém a tranquilidade, mas apesar da carreira profissional, não esconde sua ansiedade.

- Estou muito animada para a estreia. Mas, como não é o primeiro monólogo, fico mais tranquila - destaca.

A sutileza da trilha sonora

A trilha sonora de “Galo na rinha” foi especialmente composta pelo ator e músico do Sala Preta, Bianco Marques, cujo trabalho recebe o reconhecimento tanto da atriz quanto da diretora. Luciene conta que a sensibilidade do músico é impressionante:

- Eu já tinha visto alguns trabalhos dele. Por isso, quando a gente resolveu fazer a trilha sonora em Volta Redonda, não pensamos em outra pessoa.

Para a autora e diretora, o compositor captou exatamente a essência da proposta.

- Precisávamos de tudo muito sutil, sem arestas, sem gordura, o Bianco conseguiu isso com apenas um instrumento, uma escaleta, e vestiu o projeto de um jeito muito legal - diz.

Poucos olhares externos

A iluminação e a preparação corporal foram tarefas do ator Rafael Crooz, também do Sala Preta. Quando entrou no projeto, atriz e diretora já haviam avançado no trabalho, mas precisavam polir as marcas e ações. As pesquisas para a concepção do espetáculo começaram há um ano e meio, e para Alexandra Garnier houve poucos olhares externos ao longo do processo. Ela faz questão de lembrar que a preparação corporal e a iluminação foram algumas das mais importantes contribuições para o projeto:

- As participações do Rafael Crooz, da Sura Berditchevsky, da Doris Rolemberg foram significativas para deixar o espetáculo como está.

Quando perguntadas sobre o que esperam da nova empreitada, atriz e diretora concordam que só querem que tudo dê certo, e confirmam que estão mais preocupadas com todos os fatores que envolvem uma produção como essa. A autora revelou ainda que em 21 de setembro a peça será apresentada no Sesc (Serviço Social do Comércio) Barra Mansa e que podemos esperar ainda este ano uma temporada em São Paulo. Ela completa que é um espetáculo sem pretensões:

- Temos poucas preocupações com a aceitação dos espectadores. Nosso objetivo maior é a pesquisa, e os teatros que escolhemos são pequenos e comportam muito bem a nossa proposta.

Quem é quem no espetáculo 

. Texto e direção: Alexandra Garnier
. Supervisão: Sura Berditchevsky
. Elenco: Luciene Martes
. Cenografia: Doris Rollemberg
. Cenotécnico: Ataíde Toledo
. Produção executiva: Verônica Rocha
. Iluminação: Rafael Crooz
. Trilha musical: Bianco Marques
. Preparação corporal: Rafael Crooz
. Operadora de som: Carla Araújo
. Programação visual: Bruno Perlatto
. Elaboração de projeto: Zane Garnier
. Fotos: Fátima Fonseca e Danielle Gonzaga

Serviço

> Galo na rinha - Classificação: 14 anos. 12 de setembro, no Gacemss II, às 20h30. Preço: R$ 20 (inteira). De 20 de setembro a 11 de outubro, às quintas-feiras, no Teatro Casa da Gávea, às 21h. Preço: R$ 30 (inteira). Dia 21 de setembro, no Sesc Barra Mansa, às 20h.

Por Bravo  –  marcelobrv@gmail.com

3 Comentários

×

×

×

  • Luciene Martes

    Parabéns Marcelo!!! Essa é a primeira de muitas que escreverás com talento e e muito carinho! Adorei a matéria! Com certeza lerei todas! Parabéns a todos que participam do Olho Vivo! Vocês vão arrasar!!!

  • Márcia

    Que beleza , isso! Certeza de que, com esta atriz e esta ficha técnica, só pode ser lindo!

  • Mais comentários