Publicidade

RH

Ah, Vida!

Lista dos arquivados

Dolorosa é a saudade ao perder uma boa amizade, mas com o tempo vamos nos conformando e arquivando na memória as boas lembranças

Artigos  –  23/05/2021 10:19

10024

 

(Foto Ilustrativa)

O mundo virtual: real - irreal - surreal local onde também encontramos pessoas e com muitas nos conectamos. Algumas apenas visualizamos, algumas curtimos, outras acenamos. Mas há aquelas que nos interessamos, ou que por nós mostram-se interessadas.

 

Haliny Lopes

No decorrer da vida encontramos diversas pessoas. Com algumas simplesmente olhares a se cruzarem, talvez um sorriso, quem sabe um bom dia. Nunca mais. Rostos com seus mistérios.

Com algumas pessoas nos identificamos, paramos para conversar, tomar um café. Pode ser que fiquem pra sempre em nossa vida ou, talvez, apenas troca de contatos inutilizados...

Já outras pessoas param e por algum tempo ficam. Conversas, partilha de bons momentos, mas chega um dia em que se vão. Ficamos entristecidos. Dolorosa saudade ao perder uma boa amizade. Mas com o tempo vamos nos conformando e arquivando na memória as boas lembranças. Vão para a lista dos arquivados que, de vez em quando, abrimos para relembrarmos os felizes ou até tristes momentos.

Lista que pode ter amigos ou amores mal resolvidos...

Ah, vida! Contemporânea vida que não se satisfaz; quer ir sempre mais, se reinventa em mídias sociais. Cria perfis, por vezes não reais - vida hipócrita. Entrelaça-se em redes. Liga-se a outras virtuais vidas.

O mundo virtual: real - irreal - surreal local onde também encontramos pessoas e com muitas nos conectamos. Algumas apenas visualizamos, algumas curtimos, outras acenamos. Mas há aquelas que nos interessamos, ou que por nós mostram-se interessadas.

Mensagens trocadas, pausa para um café. Pode ser que seja apenas um “Oi. Tudo bem?”, ou uma conversa que vá além. Gênese de amizades, até mesmo romances...

Virtuais romances. Para onde vão se não se tornarem reais?

Algumas vidas solicitaram a minha. Interessantes, aceitas. Reais que se tornaram virtuais; virtuais que não se tornaram reais. Cada uma, uma história. Promessas que não se tornaram realidade. Visualizações, curtidas, mensagens trocadas. Expectativas, encanto, esperanças frustradas. Inconclusas falas.

Veio uma vida. Acenou para a minha. Surgiu de surpresa. Envolveu-me em promessas. Felicidade. De repente surgiu, de repente se foi... Para a lista dos arquivados. Veio outra. Linda, suave. Agradáveis mensagens. Novas promessas, nova despedida: arquiva.

Para superar sua ida, solicitei outras. Novas vidas, outras conversas - que não me tocaram, então, lista dos arquivados.

E assim a vida prossegue, à procura de viver histórias, mesmo que se tornem apenas memórias. Isso é válido. Há arquivos que só podemos encaminhar para a lixeira, pois também topamos pelas esquinas da vida com pessoas que nos causam dor. Mas uma dádiva é podermos encher nosso arquivo de boas histórias, que ao reabrirmos, nos levam a sorrir com a bela lembrança que nos deixou; com as vivências que nos proporcionou...

Mas, apesar da minha lista dos arquivados me levar a boas lembranças, ainda quero poder conhecer quem em minha página inicial irá permanecer! 

> Haliny Lopes é professora, licenciada em história, especializada em arte e educação, como também em filosofia e sociologia. Descobriu o interesse pela escrita por meio da psicanálise. Seus textos expressam os sentimentos adquiridos de acordo com suas vivências. É autora de textos reflexivos publicados em seu blog Quando a Alma FalaUm de seus textos foi publicado na “Coletânea Fliva 2019 - Feira Literária de Valença. 

________________________________________________________

Por Redação do OLHO VIVO  –  contato@olhovivoca.com.br

Seja o primeiro a comentar

×

×

×