<

Publicidade

Premio

Saga Crepúsculo

"Amanhecer": querendo ou não, um livro que marcou época

Obra abriu discussões sérias de como, por exemplo, a fascinação de Bella por Edward influencia o público jovem a agir de forma semelhante

Livros  –  19/11/2012 18:39

440

(Fotos: Divulgação)

Triângulo amoroso: Final feliz para a

mocinha (que virou vampira), o vampiro

galã e o lobisomem sarado

No último livro da “Saga Crepúsculo”, ainda se consegue rir da falta de criatividade da autora, do lado daqueles que criticam a “invenção de fabricação” de um novo tipo de vampiro e um novo tipo de lobisomem em uma história de amor juvenil, com tópicos de: virgindade na adolescência, fidelidade e questões familiares conturbadas. Nesses pontos se encontra o triunfo, que não permitiu aos livros e aos filmes sua decadência.

O livro abriu discussões sérias de como, por exemplo, a fascinação de Bella por Edward influencia o público jovem a agir de forma semelhante ao que foi mostrado no filme: Bella deixa seus amigos, família e todo senso lógico e racional, assim como a autora a criar um vampiro que brilha no sol. Num resumo final de todos os livros, a questão inicial era a paixão da menina esquisita para o “disfarçado de também esquisito ou misterioso” bonitão do colégio.

Torcida dividida

A torcida era para que pudessem ficar juntos e viverem felizes para sempre, mas como lobisomem é depilado, e o final até na metade do livro, incerto, a torcida já era para que Bella virasse vampira, para que aí, sim, pudesse morrer/viver para sempre e feliz. Do outro lado é a torcida de Jacob, que faz um triângulo quase amoroso e quase comparável ao romantismo shakespeariano.

Sobre a parte final, digo: Ainda bem que houve o filme. A autora não consegue passar emoção nas partes que deveria, e em outras passam cenas despercebidas, sem valores, mas que são importantes. No filme, tudo é diferente, há emoção e coerência e sobra espaço para a nova piada, que foi o que fizeram quando usaram técnicas gráficas para dar a Renesmee a aparência que precisava - transformaram a menina em um monstro digitalizado, mal feito.

Tensão no cinema

A parte tensa que os fãs que leram o livro não esperavam foi a luta entre Volturi e a turma de vampiros reunidos pelos Cullen. Com direito a vampiros brasileiros, que não fizeram jus, assim como no filme anterior, onde julgaram samba, ou seja, segundo Edward no filme, “animação brasileira”, meia dúzia de gente morena sambando.

Os fãs não se importaram com a surpresa da nova cena. Para todos os fãs teen, para qual a obra foi direcionada já há luto pelo fim da saga. Assim como foi com “Harry Potter”. Aí me pergunto se deveria ou poderia haver algum tipo de comparação. Enfim, acabou e, querendo ou não, marcou.

Vamos esperar pela próxima “sensação” juvenil.

> Frente e Verso

1

. Título: Amanhecer
. Autor: Stephenie Meyer
. Páginas: 567
. Editora: Intrínseca
. Ano: 2009
. Preço médio: R$ 35

Por Elisa Marques  –  nataliasouzamarques@outlook.com

2 Comentários

×

×

×

  • issa

    o filme peca em muitos aspectos com relaçao ao livro

  • Helisangela

    Não assisti o filme ainda, mas estou ansiosa para ver, boa crítica.