<

Publicidade

Premio

Olho Pop

Cláudio Alcântara

claudioalcantaravr@hotmail.com

Campanha Beneficente

Viúva que vive como indigente na Argentina pede socorro

Portadora do vírus HIV/Aids de 48 anos está vivendo em um hospital público de lá e quer retornar a Volta Redonda

Pelo mundo  –  27/02/2013 17:56

976

(Foto: Reprodução)

Imagem de satélite: Ciudad de Resistencia -

Provincia del Chaco - Republica Argentina

 

O OLHO VIVO recebeu um pedido de socorro de uma viúva que está vivendo como indigente na Argentina. Vamos chamá-la apenas de A, para preservar a sua identidade, já que é portadora do vírus HIV/Aids. A, de 48 anos, não tem como retornar a Volta Redonda e está vivendo em um hospital público de lá. Estamos tentando contato com os órgãos competentes, para ver se conseguimos resgatar A, para que possa tentar reconstruir sua vida em Volta Redonda, que é o que e ela deseja.

A contou que sempre "ia e vinha" a Argentina para ditar cursos de português, mas no ano passado extraviaram seus documentos.

- Há pessoas relacionadas com o sistema de saúde pública que estão me ajudando, mas não conseguem um documento provisório do Consulado Brasileiro em Buenos Aires, para que eu possa sair do país sem mais problemas, pois estive na fronteira de Foz de Iguaçu e a Polícia Federal não me deixou cruzar com o certificado de extravio que me deu a Polícia de Resistencia Chaco, cidade onde me encontro - disse.

Situação da viúva é crítica

A viúva explicou que, apesar de ter alguns bons amigos, sua situação é critica. Ela está sem a carteira de identidade, mas tem o título de eleitor e o CPF, o que não é suficiente.

- Não tenho dinheiro para a passagem, que não é cara, pois tem ônibus que me leva direto a Volta Redonda. Moro com um montão de gente em volta. Quem me ajuda aqui não tem boa economia para me ajudar mais - enfatizou.

Problemas legais e falta de dinheiro

Além dos instrumentos legais para que A possa cruzar a Aduana, a fronteira, ela precisa conseguir a passagem de Foz até Volta Redonda. Ela não tem mais casa aqui, mas vota na cidade e se casou aqui.

- Nunca tive nenhuma classe de subsídio, mas não faltará lugar em Volta Redonda para eu ficar, tenho certeza. Qualquer lugar aí será melhor do que estar aqui e nem me refiro à parte política e social que está passando a Argentina - comentou.

> A mora na instituição comunitária de saúde pública Casa de Medio Camino. O endereço é: Calle: Ameghino 2011 - Barrio: Villa San Juan - Ciudad de Resistencia - Provincia del Chaco - CP: 3500 - Republica Argentina. Quem quiser ajudar a conseguir a passagem de volta para A envie um e-mail para contato@olhovivoca.com.br

Por Cláudio Alcântara  –  claudioalcantaravr@hotmail.com

Seja o primeiro a comentar

×

×

×