Publicidade

ProMusica

Olho Pop

Cláudio Alcântara

claudioalcantaravr@hotmail.com

Sem Parar

Moeda Paralela lança segundo single acústico 2020

Canção escolhida faz parte do EP lançado em 2017; vídeo de - América Latina - também foi filmado durante apresentação da banda no Estúdio Panorâmico da Rádio Costazul FM, em Angra

Música  –  22/05/2020 23:48

9375

 

(Foto: Divulgação)

Moeda Paralela é Sandro Messias (baixo), Bruno Oliveira (bateria), Ângelo Miguel (voz e gaita) e Carlos Máximo (guitarras); no acústico: Sandro Messias (baixolão), Bruno Oliveira (cajón), Ângelo Miguel (voz e gaita) e Carlos Máximo (violão)

 

> Moeda Paralela lança versão acústica de canção gravada em 2018

Mais um single acústico da banda Moeda Paralela (de Angra dos Reis) está disponível na internet. Após o sucesso de “Primeira pessoa”, pinçada do EP “¿Progresso?”, lançado em 2018, chegou a vez de "América Latina", que faz parte do EP “Rock Caiçara”, de 2017. O vídeo também foi gravado durante apresentação no Estúdio Panorâmico da Rádio Costazul FM, em Angra, no dia 29 de fevereiro de 2020.   

Segundo Carlos Máximo, guitarrista e compositor da Moeda, a ideia é lançar vários singles deste acústico. 

- Até junho pretendemos lançar outras quatro canções como singles, todas no formato acústico e acompanhadas de vídeos. Nossos planos incluem, ainda, gravar algumas versões de músicas de outros artistas, que são significativas pra gente, e lançar um novo EP com as canções que não entraram na trilogia, além de outras que foram feitas durante o processo de gravação dela. Depois, pretendemos entrar numa nova fase e gravar um único disco conceitual: “FOME(s)”. Vamos abordar as diferentes vertentes da fome na sociedade. Embora estejamos vivendo um ano atípico, ainda temos como meta fazer um 2020 bem criativo e produtivo - diz. 

“América Latina”, lembra o compositor, foi a canção do primeiro álbum da banda que teve maior repercussão com o público, em shows e nas redes sociais. 

- Tocou, também, nas rádios locais com boa aceitação dos ouvintes. É comum recebermos vídeos e áudios da galera cantarolando "o bom ferreiro forja o melhor aço / você não vem aqui que eu não vou no seu pedaço". Tudo isso funcionou como termômetro para apostarmos numa versão acústica e a lançarmos como single em 2020. 

A canção, de acordo com Carlos Máximo, passa uma mensagem direta sobre a valorização da identidade local, da importância do seu lugar no mundo e do resgate da sua história de vida. 

- Desde que nascemos, somos submetidos aos padrões sociais que, nem sempre, correspondem ao que realmente somos. A letra é uma homenagem a cada um dos milhares de heróis anônimos que temos no mundo, representados por pessoas comuns, que lutam diariamente para sobreviver. "O bom ferreiro forja o melhor aço", mas ele precisa ter consciência disso para poder ser livre, tornar-se um sujeito histórico e não apenas um objeto da sociedade. “América Latina” foi uma das primeiras canções que compus, ainda adolescente - conta. 

- Na época, eu já me questionava sobre os efeitos da globalização, do aculturamento que nós, pobres e latino-americanos, sofremos ao longo da história e como isso poderia nos impactar, moldar nosso autorretrato. Refletia sobre como o padrão do outro pode se sobrepor às nossas qualidades e nos impor “defeitos”. O padrão preconceituoso e opressor da nossa sociedade não poupa ninguém. Os versos "como não cabe no poema / o operário / que esmerila seu dia de aço / e carvão / nas oficinas escuras", de Ferreira Gullar, em "Não há vagas", também me permitiram reconhecer o significativo valor do cotidiano das pessoas comuns, conceito esse que trago para a canção - acrescenta. 

A versão acústica tem menos energia do que a versão elétrica, mas isso não diminui o seu valor artístico. 

- Há na versão elétrica presença marcante do slide agressivo na guitarra e da bateria intensa. Por outro lado, a acústica é mais intimista e capaz de aproximar o ouvinte da proposta da canção. “América Latina” não é uma música, apenas, para agitar, mas para pensar, refletir - explica. 

O sucesso da versão acústica de “Primeira pessoa”, ressalta Carlos Máximo, foi uma surpresa para os integrantes da banda. 

- Não esperávamos. Estamos bem felizes com esse retorno do público. Não investimos em divulgação mecanizada. Tudo o que temos até hoje foi conquistado de forma orgânica e independente. Dessa maneira, acabamos indo contra a lógica do mercado, mas acreditamos que assim é melhor. A nossa meta sempre foi o caminho, não a chegada. A moda, com o tempo, passa. Junto com tudo que é artificial. Mas a história fica. Agradecemos aos fãs da banda, que crescem em número e qualidade a cada dia. Temos seguidores ouvindo a Moeda Paralela do sul ao norte do país e, até, no exterior. Isso é muito bom e ficamos contentes. Aproveitamos, sempre que temos oportunidade, para nos conectar com as pessoas. E a nossa música é o principal canal.

Um pouco sobre a Moeda Paralela

O novo rock nacional vem de Angra dos Reis. Moeda Paralela é uma banda independente que aposta no conceito “faça você mesmo”, compondo, gravando e produzindo todos os seus trabalhos e shows. Em 2017, lançou o seu primeiro EP, “Rock caiçara”. Em 2018 foi a vez de “¿Progresso?”. E, em 2019, “Três cores” finalizou a trilogia conceitual. A banda foi formada no final de 2014. Moeda Paralela é Ângelo Miguel (voz e gaita), Carlos Máximo (guitarras), Sandro Messias (baixo) e Bruno Oliveira (bateria). A banda tem três troféus OLHO VIVOCategoria CD/EP 2017, por "Rock caiçara"; Categoria Banda 2018; e Categoria CD/EP 2019, por "Três cores".

Veja o vídeo de “América Latina” 

América Latina

(Carlos Máximo)

Um herói anônimo, a base do pilar
Países do Terceiro Mundo, a arte popular
Ás vezes o que penso não é o que eu faço
Vaqueiro pra ser bom tem que entender do laço
O bom ferreiro forja o melhor aço
O bom ferreiro forja o melhor aço
Você não vem aqui qu´eu não vou no seu pedaço
Você não vem aqui qu´eu não vou no seu pedaço
O bom ferreiro forja o melhor aço
O bom ferreiro forja o melhor aço
Um herói anônimo, a base do pilar
Países do terceiro mundo, a arte popular
Às vezes o que penso não é o que eu faço
Vaqueiro pra ser bom tem que entender do laço
O bom ferreiro forja o melhor aço
O bom ferreiro forja o melhor aço
Você não vem aqui qu´eu não vou no seu pedaço
Você não vem aqui qu´eu não vou no seu pedaço
O bom ferreiro forja o melhor aço
O bom ferreiro forja o melhor aço 

> Contatos profissionais da Moeda Paralela - Facebook | Instagram: @moedaparalela | site | Youtube

_______________________________________________________

Por Cláudio Alcântara  –  claudioalcantaravr@hotmail.com

Seja o primeiro a comentar

×

×

×