Publicidade

Toca Logo

Conflitos Sociais

Dhiogo José Caetano

dhiogocaetano@hotmail.com

Dica de Leitura

Chico Xavier, a criança e o general

Jhon Harley consegue mostrar no livro - O voo da garça - a essência daquele que amou e ainda ama incondicionalmente a humanidade

Livros  –  28/03/2020 20:18

9263

 

(Foto: Divulgação)

Harley possibilita ao leitor encontrar com o homem de Pedro Leopoldo, transver a santidade de Chico, encontrando o cisco mais brilhante que reluziu paz, humildade, caridade, amor, vida, coerência, humanidade

 

> Confira a entrevista com Jhon Harley concedida ao colunista Dhiogo José Caetano em 2017

Humanizar Chico Xavier é o mesmo que iluminar a criatura que tanto iluminou este planeta. Poucos são os seres humanos, pois o planeta está abarrotado de “bestas”, dizendo-se humanas - criaturas que se bestializaram voluntariamente por medo da vida e involuntariamente por não compreenderem os processos evolutivos. Jhon Harley, nas entrelinhas dos versos que compõem o seu livro “O voo da garça”, encontra a essência de um homem que amou e ainda ama incondicionalmente a humanidade. Percebe-se o Chico falando; em outros trechos, compreende-se Harley explanado a sua narrativa, que de forma suave se mescla à delicadeza do nosso amado Chico.

O autor procura em palavras materializar no papel os resquícios de um ser que transformou os seus dias, a sua história, o seu mundo. Aquele olhar capaz de transver o mundo possibilitou o despertar do lótus que se abrigava em Harley.

Quantos desejaram viver experiências com Chico, e Harley foi um dos responsabilizados pelo papel de amigo, ouvinte, auxiliar. Ao ler as frases de amor que recheiam a obra, é possível sentir a emoção do autor, a gratidão, o respeito para com Pedro Leopoldo. A relação do progresso da cidade de Pedro Leopoldo, da doutrina espírita e do trabalhador Chico, que incessantemente utilizou cada segundo da sua existência física para semear o amor.

Muitos leitores, assim como este colunista, provavelmente irão às lágrimas diante do gesto de amor do autor para com o ser humano Francisco Candido Xavier. O conhecimento da maioria dos leitores certamente não será suficiente para descrever o que sentirão, nem como agradecer pela oportunidade de estar perto, sentindo o calor, a dor, os medos e a essência de Chico. O autor consegue aproximar o leitor de Chico, ao contrário de inúmeros biógrafos que o colocam distante dos homens que também estão diariamente lutando para vencer os seus limites, suas mazelas, visando o progresso.

Harley possibilita ao leitor encontrar com o homem de Pedro Leopoldo, transver a santidade de Chico, encontrando o cisco mais brilhante que reluziu paz, humildade, caridade, amor, vida, coerência, humanidade. A garça que posou entre nós, deixando um legado multiplicador, uma garça que voou rumo ao infinito, porém, que nunca nos deixará, permanecendo com o olhar amoroso, mesmo que a distância, entretanto, nunca ausente.

________________________________________________________

Por Dhiogo José Caetano  –  dhiogocaetano@hotmail.com

Seja o primeiro a comentar

×

×

×