Publicidade

Premio

Espaço das Artes

Zélia Arbex recebe obras da artista Olga Pacheco

Exposição destaca o cotidiano de negros e negras, exaltando a importância da etnia na formação da sociedade brasileira

Parabólica  –  05/02/2020 19:01

9146

 

(Foto: Divulgação/Secom VR - Geraldo Gonçalves)

"Africanidade" pode ser visitada até o dia 29 de fevereiro; trabalho de pesquisa envolveu a busca da origem de grupos étnicos, como Yorubá e Igbo, da Nigéria e Bantos, do sul da África 

 

> Programe-se: Confira o roteiro com algumas exposições que podem ser vistas na região

A exposição “Africanidade”, da artista plástica Olga Pacheco, reúne 22 obras, feitas com gravuras utilizando a técnica de colagem, desenvolvida com papel Canson gramatura 180g e 300g, e partem do desenho com grafite para delimitar as formas. Na sequência, recebem o recorte de diversos papéis coloridos que são aplicados na montagem da gravura, formando um arranjo harmônico. A mostra fica aberta à visitação até o dia 29 de fevereiro.

- Realizamos um edital de ocupação artística, que abriu democraticamente oportunidades no espaço público com transparência para ocupação dos artistas da cidade e região. Valorizar o artista e oferecer esse espaço central para a apresentação dos seus trabalhos é um importante passo no reconhecimento da cultura da nossa região - disse o prefeito Samuca Silva.

Olga Pacheco é professora de história, natural de Vassouras, atua há mais de 20 anos no magistério e, como artista plástica, desenvolve um trabalho com o tema dos povos africanos. O trabalho de pesquisa envolveu a busca da origem de grupos étnicos, como Yorubá e Igbo, da Nigéria e Bantos, do sul da África e outros grupos, como do Quênia, Somália etc.

Segundo a artista, seu trabalho expõe o cotidiano de negros e negras, exaltando a importância da etnia na formação da sociedade brasileira.

- Na minha coleção, há o registro dessa etnia em cenas de mulheres e homens em seu cotidiano, exaltando formas e cores que tão bem demonstram a alegria desses povos tão importantes na formação da sociedade brasileira. Todas as gravuras receberam nomes de origem africana e seus significados - explicou.

> A mostra pode ser vista até o dia 29 de fevereiro, no Espaço Zélia Arbex, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17h. 

_______________________________________________________

Por Assessoria de Comunicação  –  contato@olhovivoca.com.br

Seja o primeiro a comentar

×

×

×