<

Publicidade

Premio

Chá das Cinco

Priscila Messias

priscilachrist@gmail.com

Eis a Questão...

Riqueza

Um indivíduo rico é aquele que, ao fazer sua autoanálise, pode se orgulhar do ser humano que é

Colunistas  –  02/09/2019 21:24

8757

 

(Foto Ilustrativa)

A verdadeira riqueza não está no que se pode ter, mas naquilo que podemos ser para nós mesmos e para aqueles que nos cercam, precisamos definir o que queremos deixar como nosso legado

 

Vivemos em uma sociedade que prega que o que importa é o ter, que precisamos desprender toda nossa energia e juventude numa incessante corrida por acumular riquezas materiais. Somos bombardeados com propagandas e convencidos de que somos melhores se tivermos mais.

Almejamos um sucesso que se resume em aquisição de bens materiais e de objetos que descartamos assim que o mercado nos oferece um upgrade, e com isso acabamos acreditando que essa é a verdadeira satisfação do ser humano. Nos condicionamos a viver de maneira superficial e atribulada, não cultivamos amizades ou relacionamentos porque isso nos exige muito tempo e dedicação, e como “tempo é dinheiro" precisamos focar todas as nossas energias no trabalho e na busca pelo poder de compra.

Muitas vezes nem percebemos que lutamos tanto por coisas que não precisamos. Abrimos mão de qualidade por quantidade. Deixamos de valorizar os momentos com nossa família e amigos, abrimos mão de viver um amor ou uma realização porque isso nos exige dedicação e abdicação dessa corrida pelo mais. E quando, no final da jornada, se percebe que o tempo investido para acumular suas riquezas na verdade foi um tempo perdido, vem a frustração e amargura.

Quantas pessoas se lamentam por ter perdido oportunidades de experiências incríveis porque precisavam se dedicar a essa obsessiva necessidade de mostrar ao mundo seu sucesso de acumulador de bens materiais. Às vezes, para viver intensamente de forma a satisfazer nossas reais necessidades, precisamos sair dessa bolha de consumismo e mergulhar em novas vivências que nos exigem pouco poder aquisitivo e mais empenho.

Não estou pregando voto de pobreza ou julgando quem tem a ambição por condições melhores para si e os seus, vocês não estão errando em querer proporcionar conforto e uma vida sem muitas privações, mas, quando para ter essas conquistas for necessário sacrifícios que nos afastam de quem queríamos estar próximos ou que nos faça agir de modo a ferir nossos valores e crenças, esse esforço é em vão, cedo ou tarde se arrependerá e amargará o tempo perdido.

A verdadeira riqueza não está no que se pode ter, mas naquilo que podemos ser para nós mesmos e para aqueles que nos cercam, precisamos definir o que queremos deixar como nosso legado. A riqueza é poder acordar ao lado dos que amamos, poder nos sentar na varanda com familiares ou amigos para dividirmos nossas histórias, é poder doar nosso tempo e vocação para transformar a vida de outras pessoas e melhorar o mundo para nós. Um indivíduo rico é aquele que, ao fazer sua autoanálise, pode se orgulhar do ser humano que é!

Que sejamos ricos de amizades, de amor e realizações. 

_______________________________________________________ 

Prisioneira 

Um príncipe encantado lhe apareceu
E você acreditando que finalmente irá viver seu Conto de Fadas.
Flores, joias, presentes, elogios sem fim
"A felicidade finalmente chegou a mim!" 

É maravilhoso saber que alguém zela por ti,
Nunca viveu uma história assim, tudo é tão perfeito!
É tão bom se sentir amada e cuidada.
Mas o que você não percebe é que está sendo dominada. 

Os dias vão passando e você se envolvendo cada vez mais,
O príncipe se mostra cada vez mais dominador.
Senhas, roupas e até seu dinheiro ele começa a controlar,
Com a desculpa que é por muito te amar. 

De protetor a senhor.
Há dias em que ele lhe parece meio agressivo, possessivo.
"Isso vai passar!" - Seu coração lhe diz.
Mas o medo e a insegurança começam a te deixar infeliz. 

Brigas, xingamentos, agressões e privações
Aos amigos não pode recorrer, porque deles já se afastou.
A vergonha, a incapacidade de reagir não existe mais
"O que posso fazer pra ter um pouco de paz?" 

Para tentar ter paz você deixou de ser quem é.
Já esqueceu dos sonhos, das vontades e de viver.
Só usa roupas aceitáveis, fala com quem se pode e finge sorrir,
Quando na verdade o que quer é desesperadamente fugir. 

Forças não tem, já se habituou com sua vida.
Incertezas, tristeza, dor e opressão.
Quer sair, quer fugir, mas a única coisa que lhe resta é chorar.
"Como vou fazer para dessa situação escapar?" 

Você chegou ao fundo do poço.
Não percebe que precisa sair dessa relação enquanto ainda respira?
É preciso sair desse mundo de dor e opressão.
Mas vive com as promessas de mudança e não percebe que isso é só uma amarga ilusão. 

Você finalmente percebeu e diz para seu algoz: "Basta! De você vou me afastar!"
Mas ele não acha que você possa escolher como queira viver.
O primeiro golpe vem e um filme se passa na sua cabeça:
Os amigos perdidos, os sonhos interrompidos, as promessas vazias - "Espero que de mim ninguém se esqueça!" 

Mas agora já é tarde! É seu último suspiro.
Seu rosto está desfigurado, seu sangue corre pelo chão.
E em seu último momento só consegue sussurrar:
"Só queria como pássaro voar." 

Todos os dias muitas de nós têm sua vida violentamente roubada.
Muitas de nós perdem sua vida porque alguém que amam
Quer as manter presas como mantêm os tristes pássaros
Que mesmo sem alegria emitem seus cantos raros. 

Saiba que nessa batalha você não está só.
Há vida fora dessa gaiola, há esperança para você.
É preciso apenas tomar a decisão de lutar.
Estou aqui, te dou a mão, te empresto meu sofá se precisar. 

Por um mundo onde as mulheres possam amar sem medo e ser quem querem ser. 

Abraço 

_______________________________________________________

Por Priscila Messias  –  priscilachrist@gmail.com

1 Comentário

×

×

×

  • José Roberto Pereira Sampaio

    Parabens por esse trabalho!