Publicidade

Metamorfose Bar

Texto e Contexto

Robson Chaves

[email protected]

Análise

A brasilidade romântica de Gonçalves Dias

Interioridade, profundidade e paixão

Colunistas  –  05/06/2021 17:16

10041

 

(Foto: Reprodução/Internet)

O apaixonado pela pátria e pela figura feminina

 

Oi, gente! Hoje, quero trazer uma breve análise sobre as características da escrita de Gonçalves Dias, tomando como base trechos de “Canção do Exílio” e também do poema “Desejo”.

Minha terra tem palmeiras
Onde canta o Sabiá,
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida, 

O poeta estava em Portugal (Coimbra), quando criou essa obra. Daí o aspecto de extrema saudade e exaltação do Brasil, colocando nosso país como superior, como nos trechos: “Nosso céu tem mais estrelas / Nossas várzeas têm mais flores”. Cabe ressaltar, ainda, o contexto que motivou a maneira de criação e temática do autor, que era o seguinte: a necessidade de criar uma literatura com brasilidade, ou seja, sem os moldes europeus, do belo e adequado. Esses fatores explicam o nacionalismo e indianismo, que enfatizam a beleza das paisagens naturais do Brasil, valorizam a cultura indígena. 

Gonçalves Dias, como bom romântico, também escreveu poemas de amor, com destaque para a figura feminina, como no excerto do poema “Desejo”:

Dá, Senhor Deus, que eu sobre a terra encontre 
Um anjo, uma mulher, uma obra tua, que sinta o meu sentir.

O escritor nasceu no Maranhão, na cidade de Caxias, em 10 de agosto de 1823. Atuou como professor, jornalista e teatrólogo. Pertencente à primeira geração do Romantismo brasileiro. 

________________________________________________________

Seja o primeiro a comentar

×

×

×