Publicidade

DJ

Literatura & Cia.

Jean Carlos Gomes

poearteditora@gmail.com

Merecida Homenagem

Olga Savary, a maior poeta viva, completa 80 anos

Escritora é homenageado na "IV Coletânea Século XXI 2013", resultado da IV Seletiva Nacional de Poesia 2013

Colunistas  –  21/05/2013 15:18

1

(Foto: Jean Carlos Gomes)

Olga Savary nasceu em Belém do Pará, em 21 de maio de 1933 e mora no Rio de Janeiro

Olga Savary completa nesta terça-feira, 21, 80 anos. A maior poeta viva é homenageada na "IV Coletânea Século XXI 2013" - resultado da IV Seletiva Nacional de Poesia 2013, que teve a participação de escritores de vários estados brasileiros. Por se tratar do 20. livro da PoeArt Editora e a obra com mais participantes (50 poetas), resolvemos, por unanimidade, fazer, ainda que singela, justa homenagem à autora de uma obra literária vastíssima e riquíssima. A poeta, em abril, nos recebeu com carinho e atenção em seu apartamento no Rio de Janeiro para uma entrevista/bate-papo que com certeza ficará guardada em nossa memória (minha e do jornalista amigo Vicente Melo) e registrada com maestria nas páginas da coletânea histórica. 

Olga nasceu em Belém do Pará, em 21 de maio de 1933. Residiu em sua cidade natal até os 3 anos. Em 36 sua família mudou-se para Fortaleza e, em 43, para o Rio de Janeiro, onde mora até hoje. De uma família de escritores, tradutores e jornalistas, entre os quais, Aníbal Machado, Maria Clara Machado e vários outros do clã Machado, o maestro Marlos Nobre, Carlos Drummond de Andrade, Murilo Mendes, Cícero e Lourival Nobre de Almeida. Interessou-se desde cedo pela literatura e particularmente pela poesia: aos 9 anos já ensaiava seus primeiros poemas. 

Uma vasta obra literária publicada 

Poeta, como prefere ser chamada, jornalista, contista, romancista, crítica, tradutora, antologista, conferencista e ensaísta, tem vasta obra literária publicada: 23 livros, de poesia, conto, crítica e ensaio, além de centenas de antologias nacionais, um livro de jornalismo literário, entre outros. Organizou três antologias de poesia e participou de inúmeros outros livros coletivos de poesia e contos, no Brasil e no exterior, ultrapassando mil títulos. Jorge Amado, Antonio Houaiss, Gilberto Freyre e vários outros escritores afirmaram jamais terem visto tal capacidade de trabalho. Para eles, Savary - como a chamavam - trabalhava mais de 20 escritores juntos. 

Traduziu mais de 50 obras do espanhol, inglês, francês e japonês, tanto de clássicos como Pablo Neruda e Octavio Paz, como novelas, peças de teatro, memórias, contos e até textos técnicos pela Fundação Getúlio Vargas (de arquitetura e urbanismo). É a maior tradutora de Neruda, Octavio Paz, Bashô e dos clássicos japoneses do haicai no Brasil. 

Mais de 40 prêmios 

Olga Savary recebeu inúmeras distinções nacionais e internacionais pela sua obra, que somam hoje mais de 40 prêmios dos principais da literatura nacional, entre eles, três vezes o Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, seis premiações da ABL (Academia Brasileira de Letras), duas da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), da UBE-SP (União Brasileira dos Escritores), 15 da UBE-RJ, uma da Academia de Letras da Bahia e a indicação ao Prêmio Machado de Assis para o conjunto de sua obra em 1997. 

Seus poemas foram utilizados como material de palestras e cursos de literatura pelos professores Gilberto Mendonça Teles (PUC/RJ), Angélica Soares e Dalma Nascimento (UFRJ), Lucila Nogueira (UFPE), Marleine Paula Marcondes e Ferreira de Toledo (USP); psicanálise (Wilson de Lyra Chebabi); e astrologia (Martha Pires Ferreira), entre outros, no Brasil. E nos EUA, Europa e Ásia por professores brasileiros radicados e brasilianistas. 

Em 2005, baseada na obra poética reunida de Olga, a professora italiana Maria Longobardi apresentou a tese de doutorado "Olga Savary: Repertório Selvagem", orientada pelo professor de Roma Giovanni Ricciardi, na Faculta di Lingue e Letterature Estraniere da Università, degli Studi di Napoli "L´orientale", em Nápoles, Itália. 

"A Literatura é uma dama exigente,
não dá descanso. Ou você entrega a ela toda
a sua energia ou ela lhe vira as costas"
 

Foi retratada por inúmeros pintores, dentre eles: Carlos Scliar, Farnese de Andrade, Ernesto Lacerda, João Henrique Curzio Alemand, até o pintor Tadashi Kaminagai (nascido no Japão, em Hiroshima, que viveu anos no Brasil, no Rio de Janeiro e em Belém do Pará). 

É integrante do PEN Club, associação mundial de escritores, vinculada à Unesco, da Comissão de Defesa da Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa) e do Instituto Brasileiro de Cultura Hispânica. Foi a única mulher presidente do Sindicato de Escritores do Estado do Rio de Janeiro em 1997-1998. É também conhecida por ter sido a primeira mulher brasileira a lançar um livro inteiramente dedicado a poemas eróticos e a organizar "Carne Viva: 1ª Antologia de Poesia Erótica". Pioneira também em escrever haicais no Brasil, menina ainda, em 1943. Colabora com vários jornais e revistas do Brasil e do exterior. 

Perseverante em seus trabalhos e atenta aos inúmeros projetos que desenvolve simultaneamente, dedica todo o seu tempo a fazer prefácios, críticas, traduções (remunerados) e, quando do nosso encontro em seu apartamento em Copacabana-RJ no domingo chuvoso de 14 de abril de 2013, às14h30, ocupava-se da sua participação na XVII Feira Pan-Amazônica do Livro, que aconteceria de 26 de abril a 5 de maio de 2013, em Belém, sua terra natal. Olga Savary esteve em Volta Redonda há alguns anos, a convite da artista plástica Lydia de Jesus, para uma exposição e, como relatou, foi muito bem recebida pela amiga na Cidade do Aço. 

Um texto da grande poeta para o nosso deleite: 

Zôo 

Ferida pela beleza
acre cheiro de zoológico,
eu vou morrer de prazer pela beleza. 

(Possuem todas as folhas
minhas línguas verdes,
amazônicas,
e carregada de imagens
bebo no silêncio as ausências todas
com o coração cheio de dardos). 

Faz a guerra do amor, monstro sereno,
que do futuro me lembro vagamente.

Por Jean Carlos Gomes  –  poearteditora@gmail.com

5 Comentários

×

×

×

  • Artemisa

    Não sei porque não encontro as obras da Savary nas livrarias protuguesas. há muito ando à procura de um livro dela e não consigo encontrar em nenhuma livraria. Está dificil...Deveria haver mais relações culturais entre CPLP...

  • Silvana Lobo

    A poeta Olga Savary, desperta minha admiração e sinto-me privilegiada de ser representada por uma mulher competente, atuante, inteligente, crítica, jornalista e de uma autoridade ímpar, como resultado de sua história profissional e de luta.
    Desta forma, com a humildade e a sensibilidade, a amiga poeta expressa, em suas poesias, a visão futurista que só uma mulher sábia e de conhecimento pode expressar!

    Agradeço a oportunidade de conhecer melhor a obra da amiga e poeta Olga Savary, através dos belíssimos trabalhos do amigo, escritor e poeta Jean Carllo.

    Amiga de sempre!!!
    Silvana Lobo.

  • Mais comentários